Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Fale conosco via Whatsapp: +55 81 9561-1163
No comando: Velharia 98,5

Das 00:00 às 00:59

No comando: Madrugada da Liberdade

Das 01:00 às 03:59

No comando: Roberto Carlos e Companhia

Das 04:00 às 04:59

No comando: Programa Amado Batista

Das 05:00 às 05:59

No comando: Saúde com beleza

Das 06:00 às 06:59

No comando: Eu Você e a Jovem Guarda

Das 07:00 às 07:59

No comando: caminhando com Jesus Cristo

Das 08:00 às 08:29

No comando: Palavra de fé

Das 08:30 às 08:59

No comando: Manhã da Liberdade

Das 09:00 às 11:59

No comando: Domingão Especial

Das 09:00 às 12:00

No comando: Sabadão de Sucesso

Das 09:00 às 12:00

No comando: Liberdade Esportiva

Das 12:00 às 14:00

No comando: Almoçando com música

Das 12:00 às 14:00

No comando: Você que manda

Das 14:00 às 14:59

No comando: Top Hits

Das 15:00 às 15:59

No comando: Top Hits

Das 15:00 às 16:00

No comando: Coração Sertanejo

Das 16:00 às 17:59

No comando: Hora esportiva

Das 18:00 às 19:00

No comando: Especial Roberto Carlos

Das 18:00 às 20:00

No comando: ESPECIAL REGINALDO ROSSI

Das 18:00 às 20:00

No comando: Love Hits

Das 20:00 às 22:00

No comando: Ponto do amor

Das 22:00 às 23:59

Menu

Rússia retoma importação de carne bovina brasileira e China aceitará produtos certificados até setembro

Rússia voltará a importar carne suína e bovina de 12 frigoríficos brasileiros. 

Interrompida em 2017 por suspeita do uso do aditivo ractopamina na alimentação dos animais, o país libera, a partir de 25 de novembro, a aquisição de produtos de nove unidades de suínos e três de bovinos. 

Sem revelar os nomes dos frigoríficos, o governo russo já havia autorizado a comercialização de outras três grandes importadoras. 

A liberação ocorre após reunião da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, com o chefe do Serviço de Vigilância Sanitária da Rússia, Sergey Dankvert.  

A autoridade russa confirmou inspeção nas instalações frigoríficas brasileiras para habilitar novos produtores para exportação no ano que vem. 

Já o envio de carne bovina para a China voltará a ser permitido para produtos com certificado sanitário emitido antes de 4 de setembro. 

Naquela ocasião, o Brasil suspendeu o embarque do produto para o país após detectar dois casos atípicos da doença da vaca louca. 

Apesar da carne já estar nos portos, as exportações foram mantidas, mas as cargas não foram recebidas na chegada à China. 

Agora, os carregamentos retidos na alfândega serão liberados. 

Fonte: Agencia Radio2

Deixe seu comentário:

Assistir